Alegorias claustrosóficas: o pensamento confinado, a exceção e a história literária