A comunidade sem obra e a comunhão possível da escrita em “O recado do morro” de Corpo de baile