Breve história da intencionalidade: continuidade e rupturas a partir de Husserl